Páginas

Boas Vindas.

Bem vindos ao BLOG DA MENINA, espero que gostem do meu diário virtual.
Bru

domingo, 14 de julho de 2013

Sair do conto de fadas é forma mais segura de viver.


Penso assim: se alguém comprometido encontra um affair e sente que rola uma química, esse alguém tem que ser corajoso e digno o suficiente pra falar para o parceiro que tem outro que o faz feliz. Isso é completamente normal e acontece o tempo todo. 

Se der pra evitar sofrimentos desnecessários para ambas as partes, por que não?

Eu gosto de provar o gosto do mundo, talvez por isso não me chatearia tanto ouvir que eu não estou sendo suficiente para satisfazer alguém. Afinal, o meu papel na terra é viver satisfeita, não ficar feito uma boba procurando maneiras de me reprimir e exaltar algum parceiro.  
Mas tenho que reconhecer que não é agradável ouvir ou saber que seu parceiro esteve por ai, conhecendo e beijando bruxinhas más, dói, mas é aceitável e não é o fim do mundo. Relax your mind.
Viva sem pudores.
Liberte-se das condições éticas e moralistas sobre o que é certo e errado, imposta pela sociedade.
Liberte-se é a palavra, depois que você se soltar de todas as amarras que estão sendo socadas na tua cabeça desde o ventre de tua mãe, você entenderá que não há nenhuma necessidade para tanto 'sofrimento', que amores nascem, mas morrem também. 
Sair do conto de fadas é a forma mais segura de viver. 
Vamos pensar que a cada capítulo/fase da tua vida haverá um príncipe diferente, que cada um deles te ensinará algo bom, que você andará em carruagens diferentes, dançará um ritmo de valsa diferente, conhecerá tantos outros sorrisos, tantas outras maneiras de amar e isso é algo maravilhoso, e é o conto de fadas mais bonito dos tempos de hoje. (Não quero dizer que pra você viver leve, numa vibe gostosa você tem que sair por aí ficando com todo mundo, isso só é legal se você já sabe certinho o que você quer, como e quando, aí não tem nenhum problema em ficar 'curtindo', mas enquanto você acredita que o príncipe virá um cavalo branco, e que com um beijo ele irá despertar-te de toda a cegueira em preto e branco, que é como a gente vive sem amor, não é legal você sair por aí no estilo pega geral)
Conheça e fique aberta para todo o tipo de sentimento, não existe um príncipe moldado pra você, ninguém vai se encaixar na tua maneira de viver, ninguém tem que gostar de tudo o que você faz, fala ou pensa, nem você tem que fazer isso por ninguém, por maior que seja o amor, seja livre, respeite e exija que repeitem a sua maneira de ver o mundo.
 Não acredite que há alguém por aí, só esperando te encontrar e ser perfeito pra você, que nunca haverá turbulências/altos e baixos.
 Liberte-se dessa ideia de felicidade instantânea. 
Há sim, alguém por ai, mas ele não vai te entender todo o tempo, mas ele estará disposto a tentar e isso já é lindo, maravilho e suficiente. 




quinta-feira, 4 de julho de 2013

PRÍNCIPE DE VENTO, quem nunca?


Me belisca eu tô sonhando, como pode ser 
Perfeição igual é essa é ruim de aparecer 
É um príncipe encantado, me hipnotizou 
Perfeito tipo um galã de filme de amor 

Ele é bronzeado 
Da cor do pecado 
Um corpo perfeito 
Sem mulher do lado 
Não tem aliança 
Entrou na minha dança 
Mas abriu a boca 
E eu acordei, cai da cama 

A tua ideia é fútil 
Tua cantada inútil 
E de pegada é fraco 
Não vai rolar, é fato 

Tu é cabeça é de vento 
Melhor ficar calado 
O príncipe encantado 
Que pra mim já virou sapo 

A tua ideia é fútil 
Tua cantada inútil 
E de pegada é fraco 
Não vai rolar, é fato 

Tu é cabeça é de vento 
Melhor ficar calado 
O príncipe encantado 
Que pra mim já virou sapo 

quarta-feira, 19 de junho de 2013

DOE SANGUE, DOE VIDA

Desde os 13 anos eu sempre quis fazer algumas coisas que só me permitiriam fazer quando eu atingisse a maioridade, uma delas era DOAR sangue.
Cá estou com 18 anos e um namorado que é doador. Felicidade, alegria. Vou doar sangue.
Combinamos que iriamos doar sangue juntos, na manhã seguinte. Teríamos também outros compromissos, como cortar o cabelo(o namorado) e ir ao banco (eu). Nosso objetivo era acordar às 7 e meia no máximo, ir ao hospital/hemocentro, banco, cabeleireiro e casa. Eu estava realmente empolgada pra fazer algo que realmente ia ser útil. *você sabia que em apenas uma doação de sangue você pode salvar até 4 vidas?*
Acordamos 12:00, o primeiro sinal de que algo não ia dar certo.
Mas estávamos firmes e decididos a realizar a doação. Ligamos ao hemocentro em busca de informações como horários de funcionamento e alimentação.
*O doador deve...
- ter um documento oficial de identidade com foto (identidade, carteira de trabalho, certificado de reservista, carteira do conselho profissional ou carteira nacional de habilitação);- estar bem de saúde;
- ter entre 16 (dos 16 até 18 anos incompletos, apenas com consentimento formal dos responsáveis) e 67 anos, 11 meses e 29 dias;
- pesar mais de 50 Kg(na minha cidade, 53, no mínimo);
- não estar em jejum; evitar apenas alimentos gordurosos nas três horas que antecedem a doação.*
- Evitar fumar cerca de até uma horas antes da doação.


Ok, ainda dava tempo. Almoçamos, esperamos cerca de 2 horas e fomos para o hospital, já esquecendo do banco, ficamos mais ou menos uns 5 minutos na salinha de espera, até descobrir que ia demorar uma hora pra mais para conseguirmos efetuar a doação.
Já eram 13 e 50 quando ele me lembrou que teríamos de ir ao banco, mas o banco fecha as 14. CORRE.
Outro sinal divino.
Conseguimos, com algum esforço, chegar ao banco faltando 3 min. pro fechamento.
O Namorado, estaciona o carro quase DO OUTRO lado da rua, e quando saímos do banco está chovendo.
Mais um sinal;

Tudo certo, você primeiro, disse eu.
Enquanto ele fura o dedo para realizar alguns exames eu descubro que o peso mínimo, na localidade em que eu moro, não é 50, e sim >53.
Ferrou. Meu organismo é meio sanfona, a última vez que eu tinha pesado eu estava com 53, mas...
Sobe na balança com...52/53...54,ufa.
ok, retira todo o peso que eu coloquei no bolso, pra dar um pesinho. E pronto, medindo a pressão... 9.6, legal, normal. Pra mim pelo menos.
O namorado já estava doando o sangue e fez tudo em 5 minutos.
Enquanto, eu estava sendo preparada observei a grossura da agulha que usam pra furar o braço da gente. É quase um cano, mas eu enfrentei, por um bem maior.
A agulha só assusta em seu tamanho, por que "é uma picadinha de formiga..."
Estou doando sangue. Orgulho de mim mesma. Satisfação por estar fazendo algo útil e sem nada em troca.
A enfermeira diz: "Sua pulsação está bem fraca, temos que coletar no mínimo 400 ml, temos 15 minutos pra isso."
15 minutos depois, eu descubro que não consegui.
EU não consegui doar 400 ml de sangue e que a minha doação de 318 ml, não serviria para nada, seria descartada.
Eu fiquei extremamente decepcionada e triste comigo mesma.
A enfermeira e o namorado, me consolando dizendo "acontece com pessoas do seu porte físico, baixinha e magrinha" "sua pulsação é muito fraquinha, por que você é tão pequenininha" "eu mesma nunca consigo doar, por que também sou baixinha, mas não desiste, não, a gente sempre precisa de doadores".
Mas realmente eu fiquei puta. Por isso resolvi postar no blog algumas dicas que eu recebi, por que se você também é pequena e monga e inútil como eu, poderá ter êxito na doação.
As dicas se resumem à LÍQUIDO, beba muito líquido.
E eu quero mandar também um salve pro namorado que ficou me consolando enquanto eu chorava e me diminuía em sua frente no caminho de volta pra casa, amor, obrigada por me ouvir e me compreender, 





quinta-feira, 13 de junho de 2013

13 de junho - Pós dia dos namorados.

 Eu: "amor, vamos assistir o primeiro episódio de Naruto?"
 Namorado: "Vamoooooos Õ/"
 *eu super inquieta com 6 min de vídeo* 
Eu:"zZzzzZ"
 *acabou o vídeo* 
Eu: "acabou? Você não tem o 2 ai né?"
Namorado: "Você quer ver o 2 também amor???? Õ/"
 Eu: "Até queria, mas você não tem."
Namorado: "Acho que tenho, amor *-*"
 Eu: "Não, amor. Você NÃO TEM."

Isso que dá querer fazer um agrado pro love pós dia dos namorados. 


terça-feira, 11 de junho de 2013

Porra Sara Winter

Gente, eu respeito a decisão de todas as mulheres da terra. Mas porra Sara. http://www.youtube.com/watch?v=s4NcMCcRIL4
Eu achei que era mentira, por isso pesquisei mais afundo.
https://www.facebook.com/sarawinterfemen O perfil oficial da Sara.

Gente, pfvr, meu ídolo. A guria tem 21, quase, 22 anos e já fez tudo que fez. É uma puta(no sentido foda pra caralho) ativista, era representante do grupo feminista mais foda dos últimos tempos. 
Essa maninha já fez altas paradas pra defender o que ela acredita e agora vai e me tatua o nome de um cara que ela conheceu faz  4 meses, porra Sara.
Eu sei, feminista tem o direito de se apaixonar, de amar, mas PORRA SARA. PORRA.
Você tem o direito de defender o que quiser, mesmo que no caso seja seu amor pelo Itallo Marcel, faz o que você quiser, só queria deixar clara a minha frustração.

Depois de muitas dúvidas e medos

Depois da gravidez muitas dúvidas e medos se solucionaram, e deram espaço pra muitas outras dúvidas e muitos outros medos. De intensidade diferentes, mas o que realmente me importa é:
Alice Gabriella, pra vocês que acompanharam minha gravidez não desejada.
 Linda, inteligente, saudável e minha... Quase um ano se passou, e ela me faz feliz.
É impossível aceitar que eu não a queria, que eu não queria ser mãe. Tê-la em minha vida é a coisa mais difícil, importante, cara e linda que pode haver pra uma mulher. 
É inexplicável. 
Filha, se um dia você ter acesso à essas bobagens, saiba; eu era muito nova quando descobri a gravidez, nova pra assumir você, nova de mente, de princípios e tinha medo. Mas quando você chegou, me mostrou que eu erraria muito na tentativa de criar bem você, mas que eu daria conta. 
É o que está acontecendo, filha. Eu vou dar conta, mesmo que eu erre às vezes, eu quero acertar com você, quero que seja diferente, que não tenha semelhança nenhuma na criação que eu tive. 
Quero fazer de você a princesinha de um conto de fadas.

Confusa

Estar confusa é tão ruim.

Mas no meu caso é ainda pior. 
Sabe aquele trecho de uma música aleatória: "Todo mundo tem que ter alguém para confiar, alguém que você possa desabafar, alguém que o destino pois pra te ajudar". Pois é. Não que me faltem amigos, ou pessoas que dizem querer o meu bem. O que falta na realidade é confiança da minha parte. Quando se trata de mim, do meu coração parece que tudo fica ainda mais difícil. E não é que eu não queira confiar em alguém pra chorar minhas mágoas, contar os meus segredos. Acho que é o que eu mais quero. Mesmo. Mas como as pessoas confiam nas outras? Como fazer isso? Como se doar? Como sufocar o medo de ser traído, magoado, ferido e confiar em outra pessoa? Como fazer isso depois de já ter feito sem resultados positivos? Como entregar seus medos e confusões pra que outra pessoa a conforte? Isso é realmente uma opção? 
Esses dias me disseram que quem "não confia em ninguém enlouquece", será? Se alguém puder/quiser  ajudar eu aceito dicas.

sábado, 26 de maio de 2012

Segunda Ultrassom - 19/05/2012


A ultrassom, de duas, que me deixou mais satisfeita.
O pai dela estava ali, do meu lado, visivelmente feliz e satisfeito. 
Isso foi tão importante, mudou tanta coisa pra mim. 
É bem fácil explicar essa parte.
 - Saber que o pai da minha filha estava ali, me apoiando, que - ao contrário do que eu acreditava - eu não estava sozinha. Sentir um apoio. Um chão. Saber que se eu caísse, haveria  uma mão pra me puxar de volta, uma ombro pra eu chorar, um alguém pra me acalmar, pra satisfazer as maluquices de grávida. Isso realmente me reconfortou. Era como se eu achasse que ia ter que viver sozinha  com esse bebe pra sempre, sem nem saber como cuidar dela.
Enfim, essa ultra me trouxe mais do que a certeza de estar esperando uma menina, mais do que o saber que ela estava bem, essa ultrassonografia me trouxe segurança.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

A notícia

Eu, grávida de oito meses;
GRÁVIDA ~


Pois é, uma das últimas coisas que imaginei.
Nunca, em todos os meus dezessete anos eu quis ser mãe, nunca desejei. Na verdade, não é que eu nunca tenha pensado no assunto. Ou que eu não soubesse os riscos de me relacionar sem proteção. Mas, aconteceu. Talvez no pior momento. Quando descobri minha gravidez, tinha acabado de sair da casa da minha mãe, morando sozinha, trabalhando de segunda-a-segunda, tinha me separado do pai da criança - onde eu encaixaria um filho, ou, neste caso, uma filha?
Não havia espaço, nem vontade de encaixá-la em alguma parte da minha vida, eu simplesmente não aceitei.
Nos três primeiros meses foi impossível lidar com a notícia, sozinha no mundo, o pai da bebe a quilômetros de distância,  sem ter feito tudo o que desejava, eu simplesmente odiei saber.
Porém, depois de contactar o pai dela, e me sentir cem por cento segura em relação a ele, e ver que eu não estava sozinha, minhas irmãs me apoiando, mesmo que minha mãe não suportasse ouvir meu nome, eu aceitei.
Sendo o mais sincera comigo, e com você, leitor/leitora, não fiquei feliz, nem contente, nem satisfeita.
Para mim foi como quebrar o braço, no começo foi difícil e doloroso, mas depois me conformei. Mas afinal, quem gosta de quebrar o braço? Para mim, foi assim.
A primeira ultrassom, a expectativa, o medo, a insegurança, o desejo de que o pai dela - e não minha irmã - estivesse ali, segurando a minha mão.
Mesmo não querendo, quando aceitei a gravidez, já disse logo, se não for menina vai ser tão pior.
Imaginei o nome de menina, já estava tudo certo, só faltava a confirmação, de que -já que o braço já está quebrado mesmo - pelo menos eu pudesse acertar na cor do gesso, cor de rosa, por favor.
Quando a médica me disse:
 - Ah, é uma menininha.
Alívio.
Mas o fato de escolher a cor do gesso não te deixa tão animada assim.
Ao contrário das outras mamãe, não fiquei imaginando a cor dos olhos, a textura dos cabelinhos,  se ia ser magrinha, gordinha, alta, baixa, morena. Eu só queria que fosse uma menina saudável. Que sare esse braço.
Porém, com sete meses, decidi ir morar com o pai da nenê, e isso sim mudou muito a minha visão em relação a minha bebe.
Senti-lo tocando minha barriga, vê-lo cantando para ela, imaginando o futuro, foi muito importante.
E está sendo, pois estou apenas com oito meses de gestação, e não vou dizer que estou FELIZ, mas estou menos triste.
Frustrada por meus planos terem sido adiados, mas contente, se tinha que ser agora, tudo bem.
Quando a minha pequena Alice Gabriella nascer, espero me apaixonar por ela, por que mesmo sabendo que ela está aqui, mesmo sentindo ela chutar, não posso negar que não a amo. 
É claro que eu gosto da criança, mas estar grávida, ARGH! Uma das piores coisas que me aconteceu, não pela bebe, em si. Mas a gestação, eu odiei estar grávida.
Agora é esperar a chegada dela ao mundo, para poder relatar o que se sucedeu. (:
Beijocas.
Tatoo que minha irmã, Carolline, fez. 


quarta-feira, 16 de maio de 2012

Voltei


Voltei, e já vou me explicando o por que da minha ausência de tantos meses.
Estive sem internet. =/
Que motivo simples, mas crucial.
Porém, como podem observar, está tudo resolvido e eu voltei, dessa vez pra ficar. :D

terça-feira, 29 de março de 2011

Adrenalina, Luan Santana.


  Vem me amar... *-*'

Orgulhosa demais.

É sempre assim mesmo, eu brigo com  você por motivo algum, me arrependo, porém sou orgulhosa demais pra voltar atrás, orgulhosa demais.
O que eu mais sinto falta em você, você pode pensar que são os beijos, os carinhos, os amassos, mas só a tua presença já me engrandece. Não ligo de dizer, não vou mais esconder de ninguém, não necessito alimentar essa projeção que o mundo criou de mim, quero gritar que o amo. Aceite minhas desculpas, pois eu o amo!

Primeiros momentos da minha relação.


Sinceramente eu não me entendo, amo enlouquecidamente, porém digo e quero - sem motivo nehum - não amar, não ser amada. Sou louca mesmo, de verdade, brigo por mutivos fúteis, e ai de quem me disser que o motivo é fútil. O motivo é meu!
Se quiser ficar comigo, saiba que é provisório, e que serão ótimos os primeiros momentos da nossa relação, por que é só que a relação terá { Os primeiros Momentos } .
 

segunda-feira, 28 de março de 2011

Fim de dia.

Tudo bem, hoje não foi um dia fácil, não foi mesmo.
Um dia complicado, longe de tudo e todos, mas estou só.
Se me deixar abalar, ou se for forte de mais não vai ser nada bom.
Vou comprar um chiclete sabor tuti -fruti , um pote de sorvete light - começo a pensar no verão desde já - , um coca - coca não pode ser 0 , é ruim - , Alguns livros, música e muita vontade de ficar bem.
Não Preciso de segunda melhor que essa!
Obrigada papai do céu, por mai um dia lindo, por eu não ter sido assaltada hoje, por eu ter comida, internet, mãe e pai que me amam , mesmo ausentes. Obrigada Deus.

Dor e perda.



Pode e vai - com certeza -  parecer bobagem, mas eu sempre quis saber qual era o sentimento da perda, o que uma mãe sente quando perde o filho, o que uma irmã sente quando perde o irmão, o que uma tia sente quando perde um sobrinho. Pois hoje eu sei, perder um sobrinho - sobrinha - não é fácil, não se você amar incondicionalmente a mãe dele - tua irmã -  não se você viu a barriga dela crescer, se você sonhou com os possiveis presentes que daria, não é fácil se você ama tua mãe - a vó - Não é fácil por que você não entende.
Emilli Nascimento, meu anjinho lindo.